quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Henrique Pousão

Henrique César de Araújo Pousão
(01-01-1859/25-03-1884)


Nasceu em Vila Viçosa, no dia 1 de Janeiro de 1859, fruto da União matrimonial de Francisco Augusto Nunes Pousão, bacharel em Direito, com Maria Teresa Alves de Araújo. De entre os seus antepassados familiares contam-se alguns pintores: o seu avô materno, Caetano Alves de Araújo, autor de um óleo sobre tela existente na capela do Santíssimo Sacramento da Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, intitulado “Instituição do Santíssimo Sacramento”, o seu bisavô paterno, António Pousão, cujos trabalhos pictóricos mais assinaláveis podem ser vistos no Convento de São Paulo da Serra de Ossa, no Redondo. Em 1863, muda-se com os pais para Elvas, onde cursa a escola primária. Em 1869, executa um desenho, “Retrato da Prima”, que revela bem os traços promissores de um artista em potência. Em 1871, Pousão e os seus pais mudam-se para Barcelos, aí ficam por alguns meses e, depois, deslocam-se para o Porto.
Em 1872, com 13 anos de idade, inicia os estudos na Academia de Belas Artes do Porto, após aprendizagem feita com o pintor António José da Costa.
Em 1873 conquista os seus primeiros prémios artísticos, na disciplina de Desenho Histórico. Em 1880 termina o seu curso de pintura e, nesse ano, concorre e consegue uma bolsa no estrangeiro. Segue para Paris, por um ano, com passagem por Madrid e pelo Museu do Prado. Em Paris, durante o ano de 1881, estuda nos ateliers de pintura de Yvon e de Cabanel. Trabalha até à exaustão e adoece com uma forte constipação, que degenera em tuberculose. A procura de melhor clima para o seu restabelecimento físico leva-o a Puy-de-Dome, a Marselha e, por fim, a Itália onde, depois de Turim e Pisa, permanece em Roma.
No verão de 1882, desloca-se à ilha de Capri onde, extasiado pela luz mediterrânica, pinta a suas melhores obras, diversas paisagens e o conhecido óleo “Casa das Persianas Azuis”.
No final do verão de 1883 regressa a Portugal percorrendo a costa mediterrânica e a 15 de Novembro chega a Vila Viçosa.
Em 1884 pinta as suas últimas obras: “Aspecto da casa do primo Matroco”, onde faleceu, “Rosas num Copo”, pintado para ser oferecido ao seu médico Dr. Couto Jardim e outras de tema floral, destinados a ser oferecidos ao seu primo Matroco.
Entre 20 e 27 de Março de 1884, Henrique Pousão morre vítima de tuberculose pulmonar.
Fonte: Câmara Municipal de Vila Viçosa


Um dos primeiros desenhos com apenas 8 anos de idade







Nú Feminino (académia)
Desenho de lápis s/ papel
59,5 x 43,5 cm








Retrato - Lápis s/ papel 1879

 Casas Brancas de Capri- Óleo s/tela 1882


 Cecília - Óleo s/ tela - 82,3 x 57,2 cm - Roma 1882

 De volta (inacabado) Óleo s/ tela 14,5 x 13,5 - (não datado)

 Janela das Persianas Azuis (II) - Óleo s/ madeira
28,5 x 25 cm - (não assinado e não datado)

 Senhora vestida de preto
Óleo s/ madeira - 28,3 x 18,4 cm 1882

 Saint Sauves

Fontes:
Livro  HENRIQUE POUSÃO de António Rodrigues - Edições INAPA - Colecção Pintores Portugueses

Sem comentários:

Publicar um comentário