segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ferdinand Hodler







Ferdinand Hodler
1853-1918









Ferdinand Hodler nasceu em de 1853, era o mais velho dos seis filhos de Jean Hodler e Marguerite. Seu pai ganhava a vida como carpinteiro e sua mãe vinha de uma família de camponeses.
O pai de Hodler mais dois irmãos morrem de tuberculose. A mãe casa de novo com um pintor de artes decorativas, mas morre também de tuberculose, deixando Hodler órfão quando era ainda uma criança. A perda dos pais e dos irmãos despertam no artista uma poderosa consciência da mortalidade, que o levam a comparar a sua obra com a de Munch, mas os temas da mística e da melancolia foram comuns durante o período intenso conhecido por Fim do Século.
Hodler recebeu as primeiras noções de pintura do padrasto, e posteriormente foi enviado para Thun, como aprendiz de um pintor local, Fernando Sommer.
As primeiras obras de Hodler eram paisagens, que vendia em lojas, e na rua aos turistas.
Em 1871, com 18 anos de idade, viaja a pé até Genebra para iniciar uma carreira como pintor.
Em Genebra estuda com Barthélemy Menn, antigo aluno de Ingres. Foi uma educação muito tradicional, mas que o ensinou a desenhar bem e que o expôs às influências duradouras de Rembrandt, Holbein e Dürer.
Hodler começou a trabalhar como retratista, aliás muito competente.
Mais tarde visitou Paris, para explorar novas ideias e novos estilos; admirou em especial os de Gauguin e Seurat. No entanto, Hodler tinha inventado o seu próprio estilo, a que chamou “paralelismo”, caracterizado por agrupamentos de figuras simétricas, em poses que sugerem ritual ou dança.

O primeiro trabalho simbolista de Hodler, A Noite, representa o sono como prefiguração da morte, mas o presidente da Câmara de Genebra não conseguiu ver para além dos corpos nus e excluiu-o da exposição.


A publicidade daqui resultante, com prémios atribuídos em França, Alemanha e Áustria, garantiram a fama internacional de Hodler.
Em 1884 Hodler conhece Augustine Dupin, que se tornou seu modelo e companheira, dos dois nasce em 1887 Hector, (fundador da World Esperanto Association), nesse mesmo ano Hodler conhece Bertha Stucki com quem viria a casar em 1889 para se divorciar em 1891.

Em 1894 conhece Berthe Jacques, com quem se casa em 1898.

Em 1908, conhece Valentine Gode-Darel, que se tornaria sua amante, dando-lhe uma filha em 1913. Valentine morreu de cancro em 1915.
Valentine Gode-Darel
As muitas horas que Hodler passou à sua cabeceira durante a doença, resultaram numa notável série de desenhos e pinturas.

Hodler foi um pintor suíço precursor da pintura expressionista, mas na última década do século XIX o seu trabalho evoluiu para combinar influências de vários estilos, incluindo o Simbolismo e a Art Nouveau.
O lenhador, imagem que em 1910 ilustrou a nota de 50 francos suíços, emitida pelo Banco Nacional Suíço.


Hodler morreu a 19 de Maio, 1918 em Genebra. Morrem no mesmo ano: Egon Schiele, Otto Wagner, Gustav Klimt e Koloman Moser.

Fonte: wikipedia, Livro 100 Grandes Artistas (CL)

Sem comentários:

Publicar um comentário