segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Antoine Caron

Antoine Caron

1520-1600

Um dos mais notáveis pintores da escola de Fontainebleau

As Chacinas na Época do Triunvirato, 1566
Museu do Louvre, Paris

Os primeiros testemunhos mostram-nos Caron trabalhando sob a orientação de Primaticcio em decorações, em Fontainebleau, as quais foram executadas algum tempo antes de 1550. Pouco se sabe da sua vida, mas é bastante provável que estivesse intimamente relacionado com a Liga Católica. Mais tarde, tornou-se certamente pintor a soldo de Catarina de Medici e foi amigo do poeta e apologista católico Louis de Orléans.
Caron, assim como outros membros da escola de Fontainebleau, foi influenciado quer pelos pintores italianos da corte francesa, quer pelo interesse da época pela Antiguidade grega e romana. Embora o seu estilo fosse inteiramente pessoal, os segundos planos dos seus quadros arquitecturais, quase teatrais, representam o auge dessas influências. O estranho alongamento das figuras ficou a dever-se ao exemplo de Niccolò Dell’Abbate, mas nas mãos de Caron estas tornaram-se muito mais exageradas e menos reais.
Não se podem atribuir com segurança muitas pinturas a Caron. Aquelas cuja autenticidade está provada tratam principalmente de temas alegóricos, cenas fantásticas, tais como Augusto e a Sibila, ou composições descrevendo chacinas. Caron também se dedicou a máscaras e decorações usadas em festividades da corte. Trabalhou com alguns artistas da corte numa série de desenhos dedicados à glória de Henrique II e de Catarina de Medici, que foram também reproduzidos em tapeçarias.
A obra de Caron é típica do mais sofisticado maneirismo da corte.
A Ressurreição
Augusto e a Sibila
Nuseu do Louvre, Paris
Festa Aquática em Bayonne, 1565
Giz preto e tinta castanha

Sem comentários:

Publicar um comentário