sábado, 25 de setembro de 2010

Josefa de Óbidos
1630-1684
Josefa de Ayala Figueira nasceu em Fevereiro de 1630 em Sevilha, era filha de Baltazar Gomes Figueira, pintor português natural de Óbidos, que fora trabalhar para Sevilha, onde veio a desposar D. Catarina de Ayala Camacho Cabrera Romero, natural de Andaluzia. Josefa foi apadrinhada pelo pintor, Espanhol, Francisco Herrera, El Viejo
Em 1634, quando Josefa tinha apenas quatro anos de idade, os pais regressam a Portugal, estabelecendo-se na Quinta da Chapeleira, em Óbidos, quando a menina já tinha seis anos de idade. Ali Josefa foi educada, manifestando desde cedo, vocação para a pintura e para a gravura em metal, em lâminas de cobre e prata, num género denominado como pontinho.
Em 1653, aos 19 anos de idade, fez a gravura da edição dos Estatutos de Coimbra. Trabalhou em seguida como pintora para diversos conventos e igrejas. Na Capela do Noviciado do Convento de Varatojo havia uma excelente Nossa Senhora das Dores e, no coro, um Menino Jesus, quadros que lhe são atribuídos. Havia quadros seus no Mosteiro de Alcobaça, no Mosteiro da Batalha, no Mosteiro de São Jerónimo, em Évora, onde existe um Cordeiro engrinaldado de flores, que passa por ser um dos seus melhores trabalhos.
Foi especialista na pintura de flores, frutas e objectos inanimados. A influência exercida pelo barroco tornaram-na uma artista com interesses diversificados, tendo-se dedicado, além da pintura, à estampa, à gravura, à modelagem do barro, ao desenho de figurinos, de tecidos, de acessórios vários e a arranjos florais.
Como retratista da Família Real Portuguesa, destacam-se os seus retratos da rainha D. Maria Francisca Isabel de Sabóia, esposa de D. Pedro II, e de sua filha, a princesa D. Isabel, que foi noiva de Vítor Amadeu, duque de Sabóia, a quem esse retrato foi enviado.
A Academia de Belas Artes também possui um quadro de Josefa de Óbidos.
Tendo vivido quase sempre na Quinta da Chapeleira, a reputação que granjeou era de tal ordem que muitos dos que iam tornar banhos às Caldas da Rainha, se desviavam de seu caminho, para irem a Óbidos cumprimentá-la.
Josefa de Óbidos morreu em Óbidos a 22 de Julho de 1684.

Fonte: Wikipédia 
Ver biografia completa em

S. Francisco de Assis e Santa Clara
Adorando o Menino Jesus
1647, óleo sobre cobre, 25,5 x 34,5 cm
Colecção Particular, Lisboa, Portugal

Adoração dos Pastores, 1669
Óleo sobre tela, 150 x 184 cm
Museu Nacional de Arte Antiga

Anunciação, 1676
Óleo sobre tela, 107 x 88 cm
Museu Nacional de Arte Antiga

Calcário
Óleo sobre Madeira, 160 x 174 cm
Santa Casa da Misericórdia de Peniche

Cesta de Cerejas, Queijos e Barro
Óleo sobre tela, 50 x 110 cm
Colecção Particular

Cordeiro Pascal
Óleo sobre tela, 88 c 116 cm
Museu Regional de Évora

Santa Maria Madalena
Óleo sobre cobre, 22,8 x 18,4 cm
Museu Nacional Machado de Castro

Sem comentários:

Publicar um comentário