domingo, 13 de março de 2011

António Ramalho
1858-1916

Pintor português, nasceu em 1858 no seio de uma família pobre, ainda em criança começou por ser aprendiz de caixeiro no Porto e desenvolveu o gosto pelo desenho. Fugiu para Lisboa para pedir a protecção real nos estudos de Belas-Artes, mas acabou por ser preso. No entanto, devido ao sucesso dos seus desenhos entre as autoridades, foi convidado a trabalhar na polícia e, deste modo, conseguiu integrar o Curso de Pintura na Academia de Belas-Artes de Lisboa, onde foi discípulo de Tomás da Anunciação e Silva Porto.
Bolseiro em Paris (1882-84), como pensionista do Conde da Praia, foi discípulo de Cabanel e participou no Salon em 1883, 1885-86.
Regressado a Lisboa, integrou o "Grupo do Leão", participando nas suas exposições. Apresentou-se também nos salões da Promotora (medalha de prata, 1887), do Grémio Artístico (medalha de prata, 1892) e da Sociedade Nacional de Belas-Artes (1901-02). No plano internacional, destaca-se a sua participação na Exposicion General de Bellas Artes de Madrid (1881).
A sua obra inscreve-se na temática naturalista do Retrato e da Paisagem, aproximando-se por vezes de propostas mais modernas. Foi também decorador de interiores de edifícios públicos e particulares.


Margens do Sena, Paris, 1882
Óleo sobre tela, 96 x 161 cm
Museu do Chiado, Lisboa, Portugal

O Lanterneiro, 1883
Óleo sobre tela, 106 x 87 cm
Colecção particular, Lisboa, Portugal

Retrato de Senhora de Preto, 1884
Óleo sobre tela, 50 x 40 cm
Casa Museu Anastácio Gonçalves, Lisboa, Portugal

Retrato de Abel Acácio Botelho, 1889
Óleo sobre tela, 59 x 44 cm
Museu do Chiado, Lisboa, Portugal

Retrato de José Malhoa, 1882
Óleo sobre Madeira, 34 x 22 cm
Museu José Malhoa, Caldas da Rainha, Portugal

Sem comentários:

Publicar um comentário