terça-feira, 25 de maio de 2010

Joaquin Sorolla







JOAQUIN SOROLLA BASTIDA


    1863-1923






Joaquin Sorolla y Bastida nasceu em Valência, na Rua Mantas, nº. 4, a 28 de Fevereiro de 1963, e faleceu em Cercedilla (Madrid a 10 de Agosto de 1923.
Filho de Joaquin Sorolla e de Concepción Bastida, fica órfão em 1865 (seus pais morrem de cólera), e é acolhido por seus tios maternos.
Começa os seus estudos em desenho, na escola de artesãos de Valência, matriculando-se ao mesmo tempo na Escola Superior de Belas Artes de “San Carlos”, com a intenção de dedicar-se à pintura.
Em 1880 consegue uma medalha de prata pela sua obra “Moro acechando la ocasión de su venganza”, na exposição da Sociedade “El Iris”.
Em 1883 consegue a medalha de ouro na Exposição Regional de Valência, com a obra “Monja de Oración”.
Em 1884 recebe da Governação de Valência um subsídio, para viajar até Roma.
Em 1885 segue para Roma, visitando também a cidade de Paris.
Em Roma nos anos de 1886 e 1887, pinta "El padre Jofré protegiendo a un loco" e "El entierro de Cristo", destinado à Exposição Nacional de Madrid.
Em 1888, casa com Clotilde Garcia, filha do seu protector, e instala-se na cidade italiana de Asís.
Em 1889 terminado o subsídio, regressa a Valência onde se relaciona com o Partido Republicano e com Vicente Blasco Ibañez, mudando-se seguidamente para Madrid. São desta época as pinturas com uma certa carga social como “Outra Margarita”, “Trata de Blancas”, Aún dicen que el pescado es caro”, e “Triste Herencia”.

"Otra Margarita"
"Triste Herencia"
Em 1889 nasce sua filha Maria, em 1892 seu filho Joaquim e em 1895 sua filha Elena.
Em 1900 ganha a medalha de honra na Exposição Universal de Paris e começa a relacionar-se com pintores de renome internacional. Expõe em salões e exposições na Europa, bem como em galerias de arte a fim de conseguir exposições individuais.
Em 1906 expõe individualmente na Galeria Georges Petit em Paris, obtendo um estrondoso êxito, tanto artístico como económico. Posteriormente, expõe em Inglaterra e na Alemanha, mas sem sucesso. Nos Estados Unidos, faz uma serie de exposições, todas com enorme êxito, onde alcançou fama internacional e consolidou a sua fortuna pessoal.
Em geral o que mais impressionou o público norte-americano, foi a sua peculiar maneira de interpretar os efeitos da luz, usando essa técnica para transmitir às suas obras um sentido de optimismo, confiança e vitalidade.
Joaquin Sorolla, foi sem dúvida o pintor da luz.
Morreu a 10 de Agosto de 1923 devido a um ataque de hemiplegia (paralisia cerebral).


Sem comentários:

Publicar um comentário