quinta-feira, 10 de junho de 2010

Julio Romero de Torres






JULIO ROMERO DE TORRES

1874-1930

O Pintor da Alma Espanhola





Julio Romero de Torres, nasceu a 9 de Novembro de 1874 e morreu a 10 de Maio de 1930. Nasceu e morreu em Córdoba, Espanha, onde passou grande parte de sua vida.
Filho do também pintor Rafael Romero Barros, director do Museu de Belas Artes de Córdoba, começou sua aprendizagem às ordens de seu pai na Escola de Belas Artes de Córdoba com apenas 10 anos de idade. Graças ao seu afã por aprender, viveu intensamente a vida cultural cordobesa de finais do século XIX e conheceu já desde muito jovem todos os movimentos artísticos dominantes dessa época.
Julio Romero de Torres participou com intensidade em todos os acontecimentos artísticos de Córdoba e Espanha. Já no ano 1895 participou na Nacional em Madrid onde recebeu uma menção honorífica. Também participou nas edições de 1899 e 1904, onde foi premiado com a terceira medalha. Nesta época iniciou a sua experiência docente na Escola de Belas Artes de Córdoba.
Em 1906, vai para Madrid, viajando depois por toda a Itália, França, Inglaterra e os Países Baixos.
Em 1907 obteve a sua primeira medalha com o quadro “Musa gitana”.
Em 1911, recebe o primeiro prémio na Exposição de Barcelona com o “Retablo de amor”.
Em 1922 Julio Romero de Torres viaja para a Argentina acompanhado de seu irmão Enrique, expõe em Buenos Aires, onde obtém um sucesso sem precedentes.
Foi membro da Real Academia de Córdoba e da Academia de Belas Artes de San Fernando.
Também exibiu a sua obra na Exposição Ibérico americana de Sevilha em 1929, e em múltiplas exposições individuais tanto em Espanha como no estrangeiro.
Em princípios de 1930, Julio Romero de Torres, esgotado pelo excesso de trabalho e afectado por uma doença hepática, voltou a Córdoba, sua cidade natal, a fim de se tratar e recuperar forças.
Pinta no seu estúdio da Praça do Potro, entre os meses de Janeiro e Fevereiro aquela que seria a sua obra final e mais conhecida, “La chiquita Piconera”.
A 10 de Maio de 1930 Julio Romero de Torres morre em sua casa na Praça do Potro em Córdoba, facto que emocionou toda a cidade. As manifestações de dor que produziu a sua morte, onde participaram em massa desde as classes trabalhadoras mais humildes até a aristocracia cordobesa, deixaram bem patente a imensa popularidade de que gozava o pintor “cordobés”.
Julio Romero de Torres no seu estúdio
Monumento a Julio Romero de Torres, Córdoba - Espanha
Museu Julio Romero de Torres
Visita virtual ao Museu

Sem comentários:

Publicar um comentário